Corumbá/MS, Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Terça-Feira, 10 de Novembro de 2020, 12h:33
Tamanho do texto A - A+

Prefeitura de Corumbá é alvo da Polícia Federal

Em nota Poder Executivo afirmou que ação causou "estranheza" às vésperas da eleição

Elaine Silva
Capital News

Diário Corumbaense

Prefeitura de Corumbá é alvo da Polícia Federal

Ação foi deflagrada nesta terça e segue sob sigilo

A Polícia Federal deflagrou uma operação em Corumbá, tendo como alvo a Prefeitura de Corumbá. Em nota a prefeitura,  divulgou nota em que afirma que "causou estranheza". Os alvos foram a Secretaria Municipal de Cidadania e o laboratório Citolab, cujo sócio é irmão do prefeito Marcelo Iunes, candidato à reeleição pelo PSDB.

 

De acordo com a nota, o Executivo Municipal, “não vê nenhum fato novo que motivasse a operação policial às vésperas do pleito eleitoral". Conforme o site Diário Corumbaense, além da Secretaria de Cidadania e o laboratório, as equipes da Polícia Federal cumpriram mandados de busca e apreensão em apartamento localizado no centro da cidade e na casa do prefeito Marcelo Iunes. Eles recolheram diversos documentos e apreenderam celulares. 

 

A Polícia Federal relatou que, “em relação às diligências cumpridas pela Polícia Federal na cidade de Corumbá/MS, na data de hoje, por determinação do Tribunal Regional Federal da 3a. Região, a investigação está sob sigilo absoluto, não sendo autorizada a divulgação de qualquer informação”, informou. 

 

Confira a nota na íntegra:

“Sobre a ação da Polícia Federal realizada em Corumbá nesta terça-feira, 10 de novembro, a Prefeitura de Corumbá esclarece que:

 

Pela imprensa, tomou conhecimento que a investigação é relacionada ao processo de credenciamento do Executivo municipal com o laboratório Citolab. O fato causou estranheza porque o mesmo objeto já foi averiguado pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS), sendo arquivado por ambos.

 

No despacho de arquivamento dos autos n° 01.2018.00006204-5, o promotor Luciano Bordignon Conte afirmou que “as imputações genéricas de que a empresa pertencia de fato à esposa do prefeito e somente estaria registrada em nome de um “laranja” não encontram respaldo em qualquer elemento fático probatório, a não ser nas elucubrações infundadas do representante”.

 

Já o TCE-MS assegurou que “... temos que o objetivo da Inspeção foi atingido, eis que foram examinadas a legalidade e a legitimidade dos atos sujeitos ao controle desta Corte de Contas e foi avaliado o desempenho na utilização do Credenciamento pela Secretaria de Saúde no atendimento as necessidades de serviço de exames laboratoriais em Corumbá”.

 

O Tribunal ainda pontuou que “verificamos que houve o credenciamento de outras empresas (para lotes distintos), e que estas também receberam da mesma forma que a empresa JBA Iunes, ou seja, somando-se o valor do SUS com o valor da complementação aprovada pelo Conselho Municipal de Saúde, o que corresponde ao valor da Tabela Municipal”.

 

“Também verificamos que a questão do parentesco dos ex-sócios e do atual com o Prefeito já foi objeto de análise pelo Ministério Público, que arquivou a notícia de fato por entender que inexiste irregularidade”, completou a manifestação do TC/4280/2019.

 

Mesmo com as decisões do MPE e do TCE-MS, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) suspendeu, em junho deste ano, o credenciamento do Citolab. A Prefeitura apresentou defesa e o processo está tramitando na Justiça Estadual.  Desta forma, o Executivo municipal não vê nenhum fato novo que motivasse a operação policial às vésperas do pleito eleitoral, mas ainda assim se coloca à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento que seja necessário."

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix