Corumbá/MS, Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019, 16h:34
Tamanho do texto A - A+

PMA autua comprador de madeira ilegal em Miranda

Veículos utilizados no crime em reserva indígena foram apreendidos

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PMA

PMA autua comprador de madeira ilegal em Miranda

No caminhão havia 300 estacas para cerca

Polícia Militar Ambiental de Miranda autua em R$ 7 mil comprador, ajudante e batedor de carga de madeira ilegal retirada de reserva indígena e apreende caminhão e uma caminhonete Hillux utilizados no crime. Caso aconteceu na quarta-feira (13), às 22h00, no município, na estrada de acesso ao assentamento Sumatra. Os infratores também foram autuados administrativamente e multados em R$ 2.376,00 cada um, perfazendo R$ 7.128,00.

Divulgação/PMA

PMA autua comprador de madeira ilegal em Miranda

Caminhonete servia como batedor

 

Conforme o nota da PMA, os policiais abordaram um caminhão VW 13.180, que transportava madeira ilegal, onde estavam o condutor e um passageiro. Em seguida foi abordado um veículo Toyota Hillux, no qual estava o condutor que ficou muito nervoso e afirmou que estava como “batedor” da carga. No caminhão havia 300 estacas para cerca de madeira da espécie aroeira retirada ilegalmente da reserva indígena Kadiwéu, que o condutor do veículo afirma ter comprado de um indígena. Foram apreendidos os dois veículos e a madeira.

 

Tanto o caminhão, como a Hillux que estava com o “batedor” pertenciam ao condutor do caminhão, um homem de 46 anos, residente em Campo Grande. Ele, mais o “batedor” , residente em Campo Grande e o passageiro do caminhão, participante do crime, residente em Miranda, receberam voz de prisão e foram encaminhados, juntamente com o material apreendido, à delegacia de Polícia Civil da cidade e responderão por crime ambiental, com pena prevista de seis meses a um ano de detenção. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix