Corumbá/MS, Quinta-Feira, 18 de Agosto de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 16h:14
Tamanho do texto A - A+

Com 4,2 mil militares, Ministério da Defesa inicia Operação Ágata 9

No total mais de 4 mil quilômetros de fronteira serão fiscalizados durante operação

Erik Silva
De Corumbá para o Capital News

Erik Silva

operação Agata 9

Comandante do 6º Distrito Naval, Contra-AlmirantePetrônio Augusto Siqueira de Aguiar, juntamente com o comandante da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira General Cardoso Martins

Corumbá (MS)- Desde as primeiras horas desta quarta-feira (22), o Ministério da Defesa através das forças armadas e demais órgãos de fiscalização, deram início a 9ª edição da “Operação Ágata”, em toda extensão da faixa de fronteira do Brasil especificamente nas divisas com o Paraguai e Bolívia. A ação que recebe o emprego de 4,2 mil militares das Forças Armadas tem o enfoque para o combate de crimes transfronteiriços em mais de quatro mil quilômetros de faixa de fronteira englobando quatro estados brasileiros.


Na região de Corumbá somente o Comando do 6º Distrito Naval estará disponibilizando o efetivo de mil soldados, além do emprego de nove Navios, três helicópteros, 40 embarcações e 23 viaturas para realização de patrulhamento no rio Paraguai e seus afluentes. Em entrevista coletiva concedida à Imprensa na manhã desta quarta-feira (22), o comandante do 6º Distrito Naval, Contra-AlmirantePetrônio Augusto Siqueira de Aguiar, juntamente com o comandante da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira General Cardoso Martins, e demais comandantes dos órgãos participantes, esclareceram a forma de atuação das tropas na região.

Erik Silva

Operação agata 9

Ônibus é inspecionado por militares e passageiros têm bagagem revistadas antes de ingressarem no país


Segundo as autoridades, além do objetivo de se buscar o combate à criminalidade, a 9ª Edição da Operação Ágata esquadrinha o estreitamento das coordenações do Poder Executivo, através das Forças Armadas com os demais órgãos de segurança pública atuantes na ação, como a Polícia Militar, PMA, PRF, PF, DOF, IAGRO, Polícia Civil, IBAMA, Anvisa, Guarda Municipal,Agetrat, em um total de 46 instituições conglomeradas.


Os resultados apontados nas edições anteriores da Operação Ágata, respalda o propósito estratégico da atuação das tropas e demais órgãos em intensificar a presença do Estado brasileiro junto as regiões fronteiriças, obtendo assim o reconhecimento de instituições internacionais no esforço do Brasil para combater a criminalidade em especial o contrabando, tráfico de drogas, de pessoas, de armas e munições, exploração sexual, evasão de divisas, crimes ambientais, roubos de veículos entre outros. 

 

Erik Silva

Operação agata 9

Militares verificam veículos na fronteira com a Bolívia

Na fronteira de Corumbá com a Bolívia, militares e agentes de fiscalização da Receita Federal atuam na revista de carros, motocicletas, ônibus, caminhões e a inspeção de passageiros que fazem a travessia pelo posto de fiscalização, tanto de quem entra como ainda de quem segue em direção ao país vizinho.

 

De acordo com o comando geral das operações, serão montados diversos pontos de fiscalização nas rodovias que cortam o estado como a BR-262 e a Estrada Park Pantanal, além das vias de acesso vicinais conhecidas como pontos alternativos de acesso aos contrabandistas e traficantes. Está será a primeira vez que a operação contará com os meios do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (Sisfron) – projeto estratégico do Exército implantado na área da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, em Dourados (MS).


Ainda durante a entrevista coletiva, foi elencada a possibilidade da visita do atual Ministro da Justiça, que deverá acompanhar de perto as ações realizadas na região de Corumbá.


Navegação


Segundo informou o Contra-Almirante Petrônio Augusto Siqueira Aguiar, a indicação quanto a navegação nas águas do Rio Paraguai e seus afluentes, é de que a fiscalização seja reforçada. “A nossa recomendação aos militares que participam das ações desenvolvidas nos meios fluviais é de que toda embarcação que trafegue pelos rios da nossa região seja amplamente vistoriada. Usamos a expressão de quem aonde houver um ponto de fiscalização nem peixe irá nadar, nos referindo é claro ao grau intenso de atuação que se fará presente enquanto durar a Operação Ágata” ressaltou.


Ações Sociais


A realização da Operação Ágata amplia as suas características de atuação juntamente com a efetivação de ações cívico-sociais nas regiões onde operam as tropas. Em Corumbá e Ladário, o 6º Distrito Naval em conjunto com a 18ª Brigada, proporcionarão de forma conjunta o atendimento médico no Hospital Evangélico no dia 26, e ainda ações cívico-sociais no Centro Comunitário CEAC e na Escola Francisco Mendes Sampaio no dia 29 de julho.


Durante as ações além de consultas, será realizada exposição de materiais, Corte de cabelo, orientações de como ingressar nas Forças Armadas, orientação referente a emissão de documentos, apresentação de filmes, oficina de leitura e a apresentação das Bandas de Música das duas instituições.


A Marinha ainda irá atuar com o emprego do Navio Hospitalar na região de Porto Murtinho e militares do Exército realizarão palestras de prevenção ao uso de drogas em escolas da Rede Pública de Corumbá e Ladário.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix