Corumbá/MS, Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019, 08h:34
Tamanho do texto A - A+

Trade turístico de Corumbá manifesta apoio à cota zero

“A natureza não consegue acompanhar o extrativismo”, afirma presidente da Acert

Elaine Silva
Capital News

 

Edemir Rodrigues/Portal MS

Trade turístico de Corumbá manifesta apoio à cota zero

Luiz Martins

 

“O pesque-solte é uma reivindicação que fazemos há pelo menos dez anos”, afirmou o presidente da Associação das Empresas de Turismo de Corumbá (Acert), empresário Luiz Antônio Martins, em apoio a decisão do Governo do Estado em proibir a captura e transporte de pescado das bacias dos rios Paraguai e Paraná, a partir de 2020. 

 

Na última quarta-feira (13), a entidade reafirmou sua posição, já declarada anteriormente, em relação à cota zero. Corumbá tem a maior estrutura fluvial (27 barcos-hotéis) para a pesca esportiva e recebeu este ano mais de 25 mil pescadores. “A natureza não consegue acompanhar o extrativismo e temos percebido a redução do estoque pesqueiro a cada ano. A cota zero é uma medida preservacionista e vai beneficiar o nosso negócio, pois, quando mais preservamos, mais mercado teremos para a pesca esportiva no Pantanal”, sustentou o presidente da Acert. 

 

O trade turístico de Corumbá é o primeiro segmento a abraçar a iniciativa do município em decretar a moratória para o dourado, em vigor desde 2007, e defende um tratamento diferenciado para o Pantanal em se tratamento de legislação de pesca. Conforme a  assessoria a nova legislação pesqueira pode reduzir em 20% o fluxo de pescadores na região em 2020, porém a perspectiva de crescimento para os anos seguintes deixa o setor extremamente otimista.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix