Corumbá/MS, Segunda-Feira, 21 de Junho de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 13 de Maio de 2021, 15h:21
Tamanho do texto A - A+

Ação ajuizada por candidata pode levar a anulação do concurso da Polícia Rodoviária Federal

Em entrevista ao Capital News, candidata afirma que “por erro exclusivo de uma banca, esse certame desrespeitou o princípio da isonomia”

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PRF

Em Terenos, PRF apreende maconha avaliada em R$ 1 milhão

PRF

"No meu juramento como Bacharela em Direito, assim como, em meu juramento como Advogada, jurei estar do lado da justiça. Não quero prejudicar nenhum candidato, muito pelo contrário, quero poder fazer e lutar por um certame legal e justo. Sou uma estudante, antes de tudo, e desejo oportunidades iguais nas provas, concursos e seleções. Se apenas um candidato é prejudicado, por erro exclusivo de uma banca, esse certame desrespeitou  o princípio da isonomia", relatou ao Capital News, a advogada candidata ao Concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que entrou com processo após optar pela língua espanhola, a banca apresentou prova de inglês para a sua realização.

A ação movida pela advogada pode com vistas à anulação do certame, que teve provas aplicadas em 9 de maio. Segundo seu relato, a advogada ficou sabendo do "erro na sexta feira, dia 8, quando olhei meu local de prova", antes não foi "avisada avisada da troca da língua estrangeira". No dia da prova, houve a constatação da troca e imediatamente avisou os fiscais. "Sim, avisei aos fiscais de sala que, depois disso,  foram a coordenação da Faculdade informar o ocorrido. Enquanto isso, esperei em torno de 15 minutos, após o início da prova, para começar a responder minha prova. No entanto, fui instruída a não assinar ou fazer qualquer marcação no cartão resposta. Só pude assinar o cartão e passar minhas respostas definitivas após 3 horas de prova. E a resposta que me foi passada pela coordenadora foi: " Brasília disse que não tem um posicionamento,  estamos com muitos casos iguais ao seu, por isso, responda seu cartão resposta e recorra depois da prova". Foi isso que fiz, deixei as 8 questões de língua estrangeira em branco, requeri que fosse constado em ata o meu caso, peguei um comprovante de comparecimento a coordenação e entrei com Mandado de Seguranca", informou.

Além dela, a advogada recebeu a informação que "que têm novas ações protocoladas, ou prestes a serem". O processo está em análise pelo juiz, mas ainda não data de conclusão", disse a advogada.

 

Em resposta à reportagem sobre a situação a PRF informou que “se manifestará em juízo por intermédio da AGU (Advocacia-Geral da União)”. Em resposta à reportagem sobre a situação a PRF informou que “ se manifestará em juízo por intermédio da AGU (Advocacia-Geral da União)”. Já o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) “esclarece que, sobre a língua estrangeira, o Edital PRF Nº 6, de 9 de abril de 2021, informou a necessidade de retornar ao sistema para fazer a opção de língua estrangeira para os candidatos cujo comprovante de inscrição não apresentasse essa informação ou para aqueles que desejassem alterar sua opção de língua estrangeira. Informou, ainda, que, para os candidatos que não tivessem a língua estrangeira no comprovante de inscrição e não voltassem ao sistema, seria considerada a opção de língua inglesa. O Cebraspe também reforça a necessidade de os candidatos se atentarem para as regras dos editais da seleção da qual participam”, esclareceu.

Mensagens ofensivas
Após ser divulgado que a advogada entrou com o mandado, a candidata recebeu mensagens ofensivas, assim como comentários. " Um deles foi postado em minha foto pessoal, com mensagens me questionando o fato de eu postar fotos pessoais. Questionando o tempo que estou gastando nas redes sociais (Instagram). Comentários de que eu não tenho o que fazer para  entrar com uma ação. Além de comentários de que eu deveria me contentar com o ocorrido e não prejudicar os candidatos que se deram bem no certame", finaliza.


Concurso PRF
Encerra nesta quinta-feira (13) o prazo aberto pelo Cebraspe, para recurso da prova objetiva e discursiva do concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares da prova objetiva, pode realizar das 10h desta da última quarta-feira (12) e até às 18 horas desta  quinta-feira (13), conforme horário oficial de Brasília/DF. Para recorrer contra os gabaritos preliminares, o candidato deverá utilizar o Sistema Eletrônico de Interposição de Recurso, disponível no endereço eletrônico https://www.cebraspe.org.br/concursos/prf_21.

A prova objetiva do concurso PRF aconteceu no último domingo, 9 de maio, e foi aplicada em todos os estados brasileiros. Conforme o edital do concurso está sendo ofertado 1,5 mil vagas para carreira de Policial Rodoviário Federal, que exige diploma de nível superior em qualquer área de formação e Carteira Nacional de Habilitação na categoria “B”. A remuneração inicial é de R$ 10.377,88.


Matéria atualizada às 15h58 para acréscimo de informação

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix