Corumbá/MS, Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Sábado, 16 de Novembro de 2019, 09h:31
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Em meio à crise de prefeituras, cidade de MS é destaque nacional em gestão fiscal

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

Imagens Firjan e TV Morena

ColunaMarcoEusébio

Costa Rica atingiu nota máxima em todos os indicadores da pesquisa sobre gestão fiscal feita pela Firjan

A cidade de Costa Rica (MS) voltou a virar destaque nacional, desta vez como líder em "gestão fiscal de excelência" no Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e divulgado pelo IBGE que avaliou as contas de 5.337 municípios de todo o Brasil, que concentram 97,8% da população nacional. "Hoje o município de Costa Rica não deve para a Previdência, não deve precatório, nós não temos nenhum centavo de recurso em atraso e temos mais de R$ 26 milhões em caixa", disse hoje à TV Morena o prefeito de Costa Rica, Valdeli dos Santos Rosa (MDB) sobre a rara situação da cidade no cenário em que "três em cada quatro municípios brasileiros apresentam gestão fiscal em dificuldade ou crítica e um terço das cidades do país não se sustenta, já que a receita própria não é suficiente para custear a Câmara de Vereadores e a estrutura administrativa da prefeitura", diz a Firjan. Outra cidade de MS, Paraíso das Águas, também aparece com bom índice na pesquisa. Na outra ponta, Campo Grande está entre as nove capitais dentre as 3.944 cidades brasileiras (73,9% do total) com gestão fiscal em dificuldade ou crítica, informa o site da Firjan (leia aqui). Veja abaixo o vídeo da TV Morena postado pelo prefeito Waldeli no Facebook.

 

• • • • •

 

Em Corumbá, Azambuja fala sobre os contra e a favor da Cota Zero e Fundersul

Fotos Edemir Rodrigues/Governo MS

ColunaMarcoEusébio

Azambuja recepcionado em Corumbá pelo prefeito Marcelo Iunes e por empresários do turismo em apoio à Cota Zero

Ao chegar ontem (15) em Corumbá, para a abertura dos eventos Festival América do Sul Pantanal (Fasp) e o Eco Pantanal Extremo, o governador Reinaldo Azambuja foi questionado pela imprensa sobre temas que geraram protestos nesta semana em Campo Grande, como a Cota Zero para a pesca amadora e o pacote fiscal aprovado pela Assembleia, que inclui o Fundersul, fundo bancado por produtores rurais para manutenção de estradas. Recebido por empresários do turismo local com camisas de apoio à Cota Zero para preservação do estoque pesqueiro de MS, contrapondo aos que são contra a medida, Azambuja afirmou que mantém o diálogo com pescadores profissionais e que haverá uma reunião no dia 20 de dezembro para discutir alternativas que favoreçam a categoria. "Assim como as medidas impopulares que tomamos em relação ao Fundersul, necessárias para que o governo tenha capacidade de investimentos em três anos na implantação de 1.000 km de estradas pavimentadas e outros 700 km de recapeamento, além e 120 pontes de concreto, existem os prós e contras também em relação à pesca. O importante é que o governo está aberto ao diálogo para construirmos juntos o estado que queremos", disse o governador. "Se não preservamos no futuro não teremos mais o turismo e nem a pesca em nossos rios. Precisamos ter essa consciência e bom senso. Estudos indicam que a reposição do estoque é necessária. Vamos atender os ribeirinhos, buscando alternativas de renda", acrescentou.

 

 

   Leia a coluna de hoje clicando aqui em Marco Eusébio in Blog

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix