Corumbá/MS, Sábado, 14 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Quinta-Feira, 05 de Setembro de 2019, 14h:34
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Conheça os selos de qualidade para eletrodomésticos

Por Letícia Emori

Da coluna Casa e Decoração
Artigo de responsabilidade do autor

Verificar a presença das etiquetas é fundamental para fazer uma boa compra

Divulgação

ColunaMarcoEusébio

Máquina de lavar, geladeira, ar-condicionado split. Todos esses aparelhos e outros eletrodomésticos precisam ser eficientes para utilizar toda a energia disponível com qualidade. Dessa forma, além de ter um bom resultado com o produto, economiza-se na conta de luz no final do mês. Uma das formas de conferir se a fabricante do equipamento se preocupa com sustentabilidade e eficiência energética é verificar se há um selo de qualidade colado no produto.

Existem algumas soluções desenvolvidas pelas empresas de energia e pelo governo para avaliar se um produto realmente é de qualidade. Um dos primeiros selos criados foi o Procel, uma certificação que surgiu em 1985 por meio da implementação do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica pela Eletrobrás (Centrais Elétricas do Brasil). Ele foi criado para informar aos consumidores quais equipamentos possuem bons índices de eficiência energética.

Já o Programa Brasileiro de Etiquetagem — PBE foi desenvolvido com o intuito de oferecer uma métrica confiável de eficiência energética, com base na Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence). Ela está presente em diferentes categorias de produtos e a escala tem como base as letras de A a G, sendo, respectivamente, a melhor nota em relação ao gasto energético e a pior avaliação possível para um produto eletrônico.

Esse é um dos principais instrumentos para se avaliar a eficiência energética de um eletrodoméstico. Além de dar uma nota em relação ao baixo ou alto consumo de energia, é possível consultar na etiqueta também o gasto de energia do aparelho em KWh por mês e poder fazer o cálculo do custo médio na conta de luz com base nos hábitos de consumo. Essas medidas foram importantes para estimular a indústria a fabricar aparelhos mais sustentáveis e econômicos.

O Estado também criou mecanismos de avaliação com base em testes de laboratório. Em 1993, o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) passou a oferecer o Selo Procel de Economia de Energia com base na etiqueta PBE, com a letra A para quem atingisse a máxima eficiência. Após realizar os testes, o Inmetro dá esse selo a freezers, refrigeradores, ares-condicionados e coletores.

Além desse, também há o Selo Procel Inmetro de Desempenho. Este, por sua vez, foi introduzido em 1998 e é concedido a produtos nacionais e importados. Os equipamentos avaliados são os reservatórios térmicos, reatores eletromagnéticos para lâmpadas a vapor de sódio de alta pressão, lâmpadas fluorescentes compactas e tubulares e motores elétricos trifásicos de alto rendimento, com potências entre 1 e 250 cv.

Além de verificar as etiquetas de eficiência energética, é necessário analisar outros aspectos, como a presença de recursos tecnológicos capazes de gastar mais ou menos energia. Para tornar os produtos mais competitivos e sustentáveis, a indústria desenvolveu uma série de mecanismos para economizar energia, como é o caso da tecnologia inverter, presente em aparelhos de ar-condicionado.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix