Corumbá/MS, Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 15h:09
Tamanho do texto A - A+

Deputados aprovam lei que permite videoaula em hospital

As matérias também poderão ser enviadas por e-mail.

Adriana Ximenes
Especial para o Capital News

Luciana Nassar/ Assembléia Legislativa

As matérias também poderão ser enviadas por e-mail.

Lei permite que alunos estudem de hospital

Assembléia Legislativa de Campo Grande, aprovou na manhã desta quinta-feira (15), seis  proposições e um veto mantido na sessão ordinária. Com grande destaque uma das pautas aprovadas foram o Projeto de Lei 153/2019, que determina que atendimento educacional ao aluno da Educação Básica internado para tratamento de saúde por tempo prolongado, possa ser realizada em videoaula e as matérias podendo ser enviada via e-mail.

 

Em discussão única, o Projeto de Resolução 18/2019, da Mesa Diretora, institui o Prêmio de Jornalismo da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul. Por acordo de liderança e em primeira discussão, o Projeto de Lei 139/2019, do Poder Executivo, propõe alterações nas leis 2.363/2001 e 5.305/2018 – a primeira criou Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (Agepan) e o Conselho Estadual de Serviços Públicos; e a segunda dispõe sobre o redimensionamento, as nomenclaturas, as funções, os vencimentos e o quantitativo dos cargos em comissão do Poder Executivo Estadual.

 

Ainda em primeira discussão, o Projeto de Lei 171/2019 autoriza o Poder Executivo Estadual a doar, com encargo, ao município de Ponta Porã o imóvel que especifica. O Projeto de Lei 177/2019 que permite o Estado receber em doação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) segmentos da Rodovia BR-359 e o Projeto de Lei 169/2019 que dispõe sobre o regime de concessão de obras públicas e permissão de serviços públicos foram aprovados em segunda discussão.

 

Por fim, os parlamentares votaram pela manutenção do Veto Total ao Projeto de Lei 20/2019, que não permite a participação de pessoas condenadas pela Lei Maria da Penha em programas habitacionais e sociais do Estado.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix